boo-box

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Phelps celebra ouros e bons tempos em Santa Clara: "Aumenta a confiança"

Astro americano termina torneio com ouros dos 200m medley e 200m borboleta, além de um bronze nos 200m livre, e se diz satisfeito por ter feitos melhores tempos .

Em sua terceira competição desde que voltou de seis meses de suspensão por dirigir embriagado, o maior atleta olímpico de todos os tempos conquistou dois ouros e fez bons tempos na competição na Califórnia. 

Resultados que, segundo ele, ajudam a aumentar a confiança. 

Michael Phelps GP Santa Clara final 200m medley natação (Foto: Reuters)Michael Phelps em ação durante a final dos 200m medley no GP de Santa Clara (Foto: Reuters)
- Estou feliz em terminar o evento nadando os 200 metros livre, 200 metros medley e 200 metros borboleta mais rápido do que em todo o ano. Isso é o que nós queremos fazer, estar apto para progredir durante o ano. Estou feliz com o estágio em que estou agora... Foi um bom fim de semana para aumentar a confiança neste verão - avaliou Phelps.
Phelps ainda destacou o desempenho na manhã de domingo, quando disputou três eventos nas eliminatórias - 100m livre, 200m medley e 200m costas. Segundo ele, há cerca de sete anos não fazia esse tipo de esforço.O bom fim de semana de competição do astro começou com um bronze nos 200m livre na sexta-feira, com o tempo de 1m49s03. No sábado, saiu o primeiro ouro, nos 200m borboleta: 1m57s62. 
Neste domingo, ainda conquistou o ouro dos 200m medley, com 1m59s39 - primeira vez que nadou abaixo de dois minutos no ano -, e foi o nono na final dos 200m costas, com 2m04s11.
- A manhã foi brutal. Eu não nadava três provas há sete anos, provavelmente. Especialmente este triplo. Depois, decidi não nadar a final dos 100m livre e ficar apenas com as duas provas de 200 metros. 
Eu sabia que ia ser difícil. Mas a única diferença que tive foi no nado de costas. Nos outros consegui manter o mesmo ritmo - concluiu.

Fora do Mundial de Kazan, em agosto, por decisão da entidade que administra a natação dos Estados Unidos, Michael Phelps já deixou claro que tem como meta as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Arena Pro Series Swim em Santa Clara 2015 ... Você conhece a Santa Daynara?

Daynara de Paula já não é mais uma jovem promessa como em 2008, quando ainda adolescente, foi uma das surpresas da equipe brasileira nos Jogos de Pequim. Após quase 10 anos competindo em alto nível, acumula bagagem de duas Olimpíadas, três Mundiais em piscina longa, dois em piscina curta, além dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Currículo de uma atleta experiente, mas que aos 25 anos, ainda tem muito combustível para queimar. Uma mostra disso foi o GP de Santa Clara, nos Estados Unidos, no último fim de semana: um ouro - primeiro da natação feminina do Brasil no circuito americano - e uma prata, com tempos raramente alcançados por ela após um período pesado de treinamentos. Em boa fase, a nadadora do Sesi-SP, especialista no nado borboleta, mira agora resultados expressivos no Pan de Toronto, em julho, e no Mundial de Kazan, em agosto.
- Foi uma surpresa, porque é uma competição muito forte nos Estados Unidos, considerado o melhor país da natação. Foi a minha primeira competição depois de treinos de base, então, os tempos que consegui foram muito bons. No Pan, vou estar mais veloz. Espero baixar um segundo no meu tempo e brigar pelo ouro - afirmou Daynara em conversa por telefone com o GloboEsporte.com.
Em Toronto, a nadadora será uma das favoritas nos 100m borboleta. No GP de Santa Clara, bateu em primeiro na prova com o tempo de de 58s98. Marca próxima da que garantiu o título à americana Clarie Donahue no Pan de Guadalajara, em 2011: 58s73. Na ocasião, a nadadora do Sesi-SP ficou com a prata (59s30).
- Ser campeã no GP foi importante. Estou bem mais experiente e isso está me dando mais confiança e tranquilidade até pensando no ano que vem, nas Olimpíadas do Rio.
Daynara de Paula (Foto: Satiro Sodré / SSPress)Aos 25 anos, Daynara vive boa fase e está animada para o Pan e o Mundial (Foto: Satiro Sodré / SSPress)

Em Kazan, Daynara terá duas disputas individuais. Além dos 100m borboleta, estará também nos 50m borboleta - prova não olímpica. Conquistar a primeira medalha feminina da natação brasileira em Mundiais de piscina longa é um sonho, mas voltar a fazer uma final cumpriria a meta da nadadora para a competição.
No ranking de 2015 da Federação Internacional de Natação (Fina), Daynara tem apenas 31º tempo nos 100m borboleta e o 26º nos 50m borboleta. No entanto, as marcas atingidas por ela no Estados Unidos são próximas das que foram necessárias para disputa das finais - oito melhores - no último Mundial de piscina longa, em Barcelona. Nos 100m borboleta, ficou 54 centésimos acima do tempo de 58s44. Já nos 50m borboleta, em que foi prata em Santa Clara com 26s37, o corte para a final no Mundial de 2013 foi de 26s12. - Eu sempre sonho com isso (medalha no Mundial). Estou trabalhando para disputar final nas duas provas. Estando garantida, no dia, é sempre uma novidade e pode acontecer qualquer coisa. Estou confiante e os resultados estão bem fortes, estou me sentindo bem - disse a nadadora.
A única final de Daynara em Mundiais de piscina longa foi nos 50m borboleta em 2009, competição disputada em Roma, ainda na era dos trajes tecnológicos. De lá para cá, bateu na trave com o 10º tempo dos 50m borboleta em Xangai (2011) e teve como melhor resultado em Barcelona (2013) o 15º nos 100m borboleta.
Daynara de Paula (Foto: Satiro Sodré / SSPress)Nadadora do Sesi-SP, Daynara de Paula é especialista no nado borboleta (Foto: Satiro Sodré / SSPress)
- Hoje sou muito mais experiente, vou para o meu quarto Mundial. 
Já sei o que tenho que fazer, o que não posso fazer. Isso está me dando uma vantagem. 
Acho que estou na minha melhor fase. Não tenho o mesmo gás de quando treinava oito mil metros por dia e ficava sorrindo, mas os treinos são mais específicos. Nesse GP nos Estados Unidos, meu diferencial foi a saída. 
Estou com um tempo de reação muito bom. Já estou no nível das outras meninas, conheço todas elas. Sei quem são as melhores, sei que fazem uma volta forte (nos 100m borboleta) e estou trabalhando para isso também. Estou animada para competir, treinando muito bem, muito focada.
Além das provas individuais de borboleta, sua especialidade, Daynara ainda integra as equipes brasileiras de revezamento. 
Inclusive, tem como objetivo integrar o quarteto do 4x100m livre feminino no Pan, no Mundial e nas Olimpíadas de 2016.e
- Meu foco é a prova dos 100m borboleta. Os 50m, como não é Olímpica, acho que não entro com a mesma motivação. Mas pretendo estar entre as quatro primeiras do revezamento 4x100m livre em 2016, então faço os 100m livre. Gosto de nadar o revezamento também - concluiu.

fonte :globo esporte

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Dilma cita Maria Lenk como exemplo para atletas no Dia Olímpico


A presidenta Dilma Rousseff invocou, nesta terça-feira (23), o exemplo de Maria Lenk, a primeira brasileira recordista mundial de natação e primeira sul-americana a participar de Olimpíadas, para que sirva de inspiração aos 600 atletas que representarão o Brasil nos 27º Jogos Pan-Americanos, a serem realizados em Toronto, no Canadá, de 10 e 26 de julho.

Foto oficial de atletas e a mascote Ginga com a presidenta Dilma
Dilma participou, no Rio de Janeiro, do lançamento da mascote do Time Brasil nas Olimpíadas de 2016, o Ginga. 
O lançamento foi na Cidade Olímpica, no Barra da Tijuca e marcou o Dia Olímpico. 
Durante a cerimônia, a presidenta lembrou que faltam apenas 409 dias do inicio das Olimpíadas de 2016 e 442 para o inicio dos jogos paraolímpicos, quando o Rio de Janeiro vai se transformar no centro esportivo do mundo.
 “No local aonde milhares de atletas, milhões de pessoas virão assistir o evento que comemora, sobretudo, a paz entre os povos”.

E também, acrescentou, a grandeza e a expressão maior da humanidade, que é a capacidade de concorrer, de se esforçar e de se superar, acrescentou. 
“Por isso, o Rio de Janeiro vai se transformar na Capital Olímpica – e nada mais justo que, hoje, estejamos aqui para celebrar o Dia Olímpico, que é também o Dia Nacional do Desporto”.
Após assistir a exibições de atletas brasileiros de saltos ornamentais e nado sincronizado, a presidenta disse que todas as crianças e jovens que se apresentaram nesta terça-feira “são legítimos herdeiros da dedicação e da excelência de Maria Lenk. Unidos pelo espírito olímpico, vocês nos estimulam a trabalhar sempre mais para que cada capítulo da história olímpica brasileira seja mais glorioso”.

Maria Lenk, continuou Dilma, é uma brasileira que nos enche de orgulho por sua trajetória. Ela foi a única mulher do país a ser introduzida no Swimming Hall of Fame, em Fort Lauderdale, na Flórida. Foi a primeira nadadora brasileira a estabelecer um recorde mundial e deu ao seu clube, o Flamengo, importantes títulos.

Por fim, ela desejou sorte aos 600 atletas que vão representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. “Graças a vocês, estamos todos certos de que, daqui pra frente, o Brasil saberá, através de vocês, se apresentar diante do mundo. Que Toronto seja uma boa preparação para a oportunidade única que será, ano que vem, a Olimpíada e a Paraolimpíada aqui no Rio de Janeiro. Tenho certeza de que o Brasil inteiro, junto com vocês, fará desse evento esportivo uma marca da história mundial esportiva no nosso país. Sorte para vocês, nós estaremos acompanhando de perto”, concluiu.

Após a cerimônia, a presidenta Dilma Rousseff deixou a Cidade Olímpica para participar de uma reunião de atualização do Projeto dos Jogos Rio 2016 e depois retorna a Brasília.
 

Fonte: Blog do Planalto
Bonito na foto, belo discurso... 
A Copa já foi a copa, vamos torcer para que O RIO 2016 seja mais que uma foto e um discurso politicamente correto...
Precisamos de proteção divina!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Australiana Kylie Palmer suspensa por doping




A Federação Australiana de Natação (Swimming Australia) anunciou nesta quinta-feira que a atleta Kylie Palmer não disputará o Campeonato Mundial de Desportos Aquáticos no próximo mês, em Kazan, na Rússia. O motivo da saída da competidora da delegação é o fato dela ter sido flagrada em um exame antidoping realizado na última edição do Mundial, em Barcelona (ESP), em 2013.

Em nota oficial, a Swimming Australia comunicou que nem a entidade ou a atleta haviam sido comunicados da infração até abril deste ano pela Federação Internacional de Natação (Fina). Até o momento, não foi tornado público qual substância Palmer teria utilizado, mas sabe-se que a contraprova também deu positivo. Ela está suspensa preventivamente do esporte, e aguardará seu julgamento.

No Mundial de Barcelona, Palmer foi medalhista de prata no revezamento 4x200m livre, resultado repetido na Olimpíada de Londres-2012. Quatro anos antes, nos Jogos de Pequim-2008, ela foi campeã olímpica na mesma prova.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Cesar Cielo conquista ouro e prata em GP de natação nos Estados Unidos


Já Thiago Pereira fez a melhor marca das eliminatórias dos 200 m peito, mas desistiu de disputar a final.


Cesar Cielo garantiu mais duas medalhas para o Brasil no Grande Prêmio de natação, em Charlotte, nos Estados Unidos. 
Na noite desse sábado (16), ele ganhou o ouro na disputa dos 50m borboleta e a prata nos 50m livre.
Nos 50m borboleta, Cielo se classificou em primeiro.
 Na disputa pela medalha, terminou com 23s26. 
Os norte-americanos Tim Phillips e Sean Fletcher completaram o pódio em segundo e terceiro, respectivamente. 
O também brasileiro Arthur Mendes terminou em quarto.
Nos 50m livre, Cielo conseguiu a marca de 22s05, atrás apenas do norte-americano Josh Schneider. 

O bronze ficou com Nathan Adrian, dos Estados Unidos. Em quarto, com o tempo de 22s22, ficou o brasileiro Bruno Fratus.
Thiago Pereira fez a melhor marca das eliminatórias dos 200 m peito, com 2m14s58, mas desistiu de disputar a final.
Na sexta-feira,15/05/15 ,  o Brasil garantiu uma prata no revezamento 4x100 m e um bronze com Felipe Lima nos 100 m peito.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Seleção de natação Paraolimpíca fará camping nos Estados Unidos antes de ir ao Mundial

Convocados para Glasgow vão treinar e competir em evento em Colorado Springs


A preparação da seleção brasileira de natação paralímpica para o Mundial de Glasgow contará com uma semana de camping nos Estados Unidos. Nesta terça-feira, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) anunciou que os 23 convocados para a competição na Escócia vão treinar em Colorados Springs a partir de 1º de junho e que participarão de um evento na cidade no fim de semana seguinte.
Batizada de Jimi Flowers Classic Swimming 2015, a competição é organizada pelo Comitê Paralímpico dos Estados Unidos e tem chancela do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês). 
As provas serão disputadas nos dias 6 e 7 e devem contar também com atletas de outros países estrangeiros, valendo como um bom teste para o Mundial.
A competição em Glasgow é a principal do ano para a natação paralímpica e será disputada de 13 a 19 de julho. A delegação tem ainda como importante compromisso os Jogos Parapan-Americanos de Toronto, de 7 de 15 de julho.

Convocados para o Mundial
natação paralímpica convocação mundial (Foto: Reprodução CPB)


quarta-feira, 13 de maio de 2015

Primeiro negro medalhista olímpico da natação do Brasil ganha biografia


Escrito pelo repórter  Raphael Carneiro, livro revela como Edvaldo Valério superou desconfiança e preconceito para chegar ao topo do esporte

Negro, baiano, de origem humilde e sem grande estrutura para treinamento, Edvaldo Valério fez história na natação brasileira durante os Jogos Olímpicos de Sidney, no ano 2000, quando foi responsável por fechar o revezamento 4x100m livre e garantir a medalha de bronze ao Brasil. Passados 15 anos, a história de vida do atleta virou livro: a biografia “Edvaldo Bala Valério - a braçada da esperança”, de autoria do jornalista Raphael Carneiro,  que será lançada no dia 13 de maio 2015, em Salvador.



Primeiro negro a ganhar uma medalha da natação brasileira nos Jogos Olímpicos, Edvaldo Valério superou desconfiança, a ciência e o preconceito para chegar ao topo do esporte. Curiosamente, o lançamento acontecerá na mesma data em que é comemorada a assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravatura no Brasil. 
Com entrevistas de companheiros de natação, treinadores, pais e amigos, além de dados históricos, o livro traça passo a passo o que foi feito antes dos Jogos Olímpicos de 2000 e após a conquista da medalha de bronze do revezamento 4x100m livre. 
Histórias curiosas, situações inusitadas, decepções, preconceito e muito realismo irão acompanhar o leitor nesta jornada.
- O livro tem como objetivo registrar historicamente o feito do nadador e atender à demanda das publicações sobre o esporte brasileiro.
 A natação é um esporte com grande popularidade no Brasil, praticado tanto por questões médicas quanto pelo prazer do esporte. Entretanto, não existem registros históricos dos grandes nomes da modalidade. A intenção do projeto é mostrar toda a carreira de Valério, inclusive explicar os motivos do que podemos chamar de sumiço dele após as Olimpíadas de 2000 - comentou Raphael Carneiro.
O livro tem prefácio do ex-nadador Gustavo Borges, companheiro de Valério na seleção brasileira de natação e no revezamento medalhista, e orelha do comentarista do SporTV Alexandre Pussieldi.
Título: Edvaldo Bala Valério - a braçada da esperança
Autor: Raphael Carneiro
Editora: Via Escrita